Piso Ecológico ?>

Piso Ecológico

O piso ecológico é um produto ainda pouco conhecido, mas cada vez mais procurado. Solução para imóveis mais sustentáveis, as peças diminuem os efeitos do homem sobre o meio ambiente. Também podem auxiliar a natureza a manter-se verde e rica, e a eliminar resíduos tóxicos. Tudo isso apenas com um pouco de planejamento!

A sustentabilidade é palavra de ordem nos dias de hoje. Para um planeta que sofre com o Aquecimento Global, perigo de extinção das espécies e diversos desastres ambientais, pequenas ações no dia a dia podem fazer toda a diferença. E, então, garantir um bom futuro para as gerações futuras, com a natureza ainda presente. Por isso, a Construção Civil sempre busca também aderir a produtos mais sustentáveis.

Mais do que a sustentabilidade, porém, o piso ecológico consegue proporcionar diversos outros benefícios. Como conforto, praticidade de instalação e manutenção, e proteção – da natureza e dos indivíduos. Gostou da alternativa? Conheça os tipos de piso existentes e todas as vantagens da adesão!

Por que aderir ao piso ecológico?

O piso de um imóvel é algo básico para sua construção. É ele que dá ao indivíduo um local para pisar, para dispor seus móveis e construir um lar. Sua base, no entanto, costuma ser de materiais “básicos”: madeira, cerâmica ou cimento. A escolha depende, na maioria das vezes, das condições financeiras do indivíduo e também da decoração pretendida por ele.

De qualquer modo, entretanto, dificilmente os pisos ecológicos são considerados. Isso porque as opções ainda são pouco conhecidas. Por vezes, ainda são tomadas como caras – o que pode acontecer, mas que compensa bastante em relação ao custo-benefício.

Para que você opte por esse tipo de piso, então, vamos elencar algumas vantagens da opção. A primeira delas já foi citada: é a sustentabilidade. Essa característica garante que a estrutura não cause a degradação do meio ambiente. Afinal, o material é produzido com base em produtos reutilizados, ou então que podem ser facilmente repostos na natureza.

Esse é o princípio da sustentabilidade: utilizar materiais de modo que eles não corram o risco de acabar de uma hora para outra. Por isso também é fundamental, por exemplo, sempre adquirir móveis de madeira legal. Isso dá a certeza de que a árvore cortada para aquela produção não “fará falta”, pois foi plantada justamente com o objetivo de corte e montagem do móvel.

Outro benefício de uso do piso ecológico é a sua durabilidade. O tempo de degradação varia de acordo com o tipo de material utilizado – a borracha do pneu tende a durar uma enorme quantidade de anos, enquanto o bambu dura um pouco menos. Independentemente do uso, porém, esse tipo de assoalho nunca deixa a desejar em relação aos mais “comuns”, como a cerâmica.

Outras vantagens da opção

Mais do que esses benefícios “técnicos”, o piso ecológico agrega muito ao imóvel. Primeiro, em sua valorização. Como o tema da sustentabilidade está muito em voga (e com razão!), a venda de uma casa, apartamento ou ambiente comercial que respeite o meio ambiente pode ser feita por um valor maior que o previsto pelo mercado. Tanto pelo status, como pelo investimento realizado na instalação do material diferenciado.

Além disso, as peças ecológicas são muito versáteis. Elas podem ser aplicadas em diferentes materiais, com diferentes tamanhos, desenhos e cores. Isso permite, inclusive, que elas sejam bem harmonizadas com a decoração.

Se a madeira for a escolhida, sua beleza natural soma muito ao espaço. Assim como os moldes das peças em pneu, ou os feixes de bambu. Seja qual for o material-base, é sempre possível adequá-lo ao ambiente, assim como utilizá-lo para um grande diferencial à decoração.

A seguir, conheça os tipos de pisos ecológicos mais comuns no mercado.

Laje Ecológica

Se você lê a palavra laje, possivelmente é remetido de imediato para o teto de um imóvel. Então, por que essa alternativa está aparecendo num texto sobre pisos? Simples: porque essa estrutura, conhecida também como laje solar, funciona tanto para o teto de um imóvel, quanto para o piso de um ambiente externo.

A laje solar nada mais é que um piso formado por algumas lajotas de vidro, intercalados por peças de alvenaria comuns. Essa alternativa é ecológica porque o vidro permite a ótima passagem da luz natural para dentro do imóvel. Isso diminui a necessidade de luz elétrica no interior da edificação, o que diminui a demanda por produção da energia e, por consequência, todos os poluentes e agravos à natureza que esse processo provoca.

Outra vantagem dessa opção é a bela decoração criada. A passagem dos raios solares oferece bonitos reflexos aos objetos internos, e até consegue mudar o visual de acordo com a passagem da luz.

Como usar a laje ecológica?

Esse tipo de instalação pode ser feita tanto no momento de construção do imóvel, quanto como uma adaptação posterior. Ainda mais interessante que deixar a alvenaria junto ao vidro, pode-se aplicar grama nos espaços não transparentes. A grama dá um bonito visual ao piso externo, além de permitir a boa drenagem da água. O verde ainda garante um ar mais puro, uma vez que a grama vai realizar fotossíntese e renovar o oxigênio do ambiente. Contando que o vidro também precisa de limpeza e manutenção periódica, o cuidado com a grama não será um empecilho.

O planejamento de uso pela laje ecológica deve ser feito por um profissional, e com cuidado. Afinal, o vidro é considerado um material sensível, e deve ser trabalhado da forma correta. Ademais, é necessário escolher vidro de segurança, como o temperado, laminado ou aramado. Isso vai garantir que as peças não se quebrarão facilmente. Caso isso ainda ocorra, a quebra das peças não causará acidentes, pois vidros de segurança não resultam em cacos pontiagudos quando danificados.

Pisos drenantes

O piso drenante, por sua vez, é uma peça aerada aplicada de dois modos: em um piso inteiro; ou então com quadrados de piso, com pequena distância entre um bloco e outro. Esse tipo de material é frequentemente utilizado em pisos externos, pois tem alta capacidade de absorção e drenagem da água da chuva.

Essa possibilidade de absorção é a principal característica ecológica do piso. Afinal, o material permite que a água cumpra seu ciclo natural – de cair como chuva, ser absorvida pelo solo, evaporar, formar nuvens, cair como chuva e assim sucessivamente. Ao retornar ao solo, a água também não se acumula, o que poderia causar enchentes.

Desse modo, o piso drenante pode ser aplicado nas mais diversas áreas externas. É ideal também para beiradas de piscinas, uma vez que essa área recebe bastante água. Além disso, o material possui característica mais áspera, o que o torna antiderrapante. Essa característica é imprescindível para o entorno da piscina, pois evita acidentes.

As peças drenantes possuem ainda vários modelos, cores e formatos, e podem ser aplicadas de acordo com a preferência do consumidor.

Lajota Ecológica

O piso em lajota ecológica é, por sua vez, uma das alternativas mais ecológicas disponíveis no mercado. Isso porque as peças são produzidas a partir da reciclagem de pneus. Ou seja, o material que seria descartado e  levaria anos para se decompor ganha uma nova função. Cada metro quadrado desse piso reutiliza sete pneus! Ao mesmo tempo, as peças produzidas oferecem ótimos benefícios à natureza.

Para a produção do piso, os pneus são triturados, formando uma enorme quantidade de granulados de borracha. Em seguida, eles são compactados, formando o modelo desejado pela fôrma em que foi colocado. A base sólida torna-se semelhante às peças emborrachadas que são colocadas no chão para que a criança engatinhe com segurança. Colocados juntos, os pedaços formam um todo.

Os formatos das lajotas feitas de pneu são os mais diversos. Há as peças quadradas, redondas, retangulares, em pentágono e mais. Provavelmente, aliás, muitas das calçadas que você julga serem feitas de concreto são, na verdade, de lajotas ecológicas. Isso porque, quando tem a cor cinza ,os pedaços são muitos semelhantes às estruturas de cimento.

O material possui grande resistência e durabilidade. Também tem como vantagem sua fácil higienização, pois demanda apenas água ou o uso de uma vassoura para tal. Além disso, os objetos são drenantes, ou seja, permitem o fácil escoamento da água (inclusive da chuva).

O uso das lajotas é ilimitado e pode, inclusive, aparecer no interior dos imóveis. Sua superfície mais áspera é ainda antiderrapante, e consegue absorver bastante a impactos e quedas. Nesse caso, se o indivíduo cai pode obter escoriações, mas boa parte do impacto é absorvido pelo chão. Por isso, as lajotas são mais indicadas para locais inclinados, como rampas, ou de grande movimentação de crianças, como pátios.

Piso maciço ecológico

Já o piso maciço ecológico tem aparência pouco mais “comum”. Isso porque o material é feito de madeira, como normalmente é utilizado no interior dos imóveis. A madeira desse piso, no entanto, é feita de eucalipto proveniente de uma área reflorestada. Isso quer dizer que o eucalipto foi plantado com o objetivo comercial, e só por isso cortado e utilizado na produção para a Construção Civil.

Mais do que com a madeira, o piso é produzido com o acréscimo de um adesivo altamente resistente. É esse adesivo que cria o visual desejado pelo cliente: colorido ou não; com “manchas”; linhas horizontais; aparência de carvalho, nogueira ou outra madeira. O resultado é um piso bastante durável, bonito e produzido com madeira legal e comprometida com a preservação ambiental.

Naturais

Outra opção de pisos ecológicos são os chamados “naturais”. Como os revestimentos produzidos com bambu, que oferecem visual bastante sofisticado. Pisos produzidos com madeira de demolição são também ecologicamente corretos, uma vez que o material seria descartado e deu origem a um  novo produto.

Também há os pisos conhecidos como vinílicos. O material é fabricado a partir de peças recicláveis, que iriam para o lixo. Nesse caso, existem pisos produzidos por meio do algodão orgânico, madeira, PVC e mais. Esse tipo de assoalho pode ser aplicado por meio de placas, mantas ou até tapetes, o que confere uma instalação rápida e prática. As peças são macias, possuem alta durabilidade, características antialérgicas e anti chamas. São mais interessantes para dentro de casa, e requerem apenas um pano úmido para sua limpeza.

Cerâmicas e porcelanatos

Cerâmicas e porcelanatos também podem ser ecológicos, desde que haja cuidado em sua produção. Nesse caso, a espessura das peças poupa matéria-prima. Sobras da indústria também podem ser aproveitadas, mantendo o caráter sustentável do material.

Nesse caso, a tecnologia não fica de fora do cuidado com a natureza. Existem no mercado, por exemplo, porcelanatos que captam a luz e transformam-a, junta à resíduos de sujeira, em oxigênio limpo. Algo semelhante ao que as plantas fazem na fotossíntese – “respiram” o ar impuro e devolvem à atmosfera o oxigênio puro e benéfico aos seres vivos.

A escolha por essas peças é mais simples, e basta apenas que o consumidor indique o desejo por materiais ecológicas ao vendedor. Os pisos desse tipo possuem como vantagem a facilidade de limpeza.

Materiais alternativos

O reaproveitamento de restos da indústria também pode ser feito com outros materiais. É aqui que entram as peças consideradas “alternativas”. De forma geral, a matéria-prima desses pisos inclui plásticos ou resinas, de várias cores e texturas.

O reaproveitamento, além de eliminar um material que seria descartado para a natureza, garante peças cheias de vantagens. Como a capacidade drenante do material, que permite a permeabilidade do solo de espaços externos, evitando o acúmulo de água. O piso é fabricado em placas com dimensões semelhantes a de uma cerâmica, e a junção de várias partes permite boa estabilidade da estrutura.

A característica porosa e de junção das peças ainda oferece base antiderrapante, evitando acidentes por escorregamento no dia a dia. No ambiente externo, é interessante preencher as lacunas das junções com gramas, uma vez que a aplicação resulta num bonito visual. Nesse caso, a plantação de cravos também pode auxiliar, dessa vez na boa fixação das bases do piso.

Além de todas essas alternativas específicas, para aderir a um piso ecológico é possível procurar uma empresa que trabalhe pensando na natureza. Muitas das fábricas, por exemplo, reaproveitam sobras da produção e fazem questão de economizar no uso da água. Pesquise!

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

WhatsApp
Ligue agora!