Piso Fulget

0

Na segunda metade do século XX, o fulget foi trazido ao Brasil por imigrantes italianos. Opção atraente e resistente de piso, o tipo de pavimento logo se espalhou pelo País, e vem sendo cada vez mais utilizado. Você com certeza já caminhou por um piso fulget, mesmo não sabendo que essa era a sua denominação.

Esse tipo de piso é executado por meio da mistura entre o cimento, aditivos e fragmentos de pedra. Podem ser utilizados diversos tamanhos e variações dos minerais, de acordo com a preferência pessoal do consumidor. Geralmente, são utilizados na massa pequenos pedaços de granitos, mármores, calcários, arenitos, quartzos e ardósias.

O cimento utilizado na mistura pode ser branco ou o comum, de cor cinza. Caso o cliente prefira, o responsável pela obra também pode adicionar à massa corante próprio, colorindo-a para que haja uma melhor harmonização com o tom dos minerais utilizados. Neste caso, as cores serão mais fiéis se o cimento utilizado for o branco.

Para que o piso fulget seja bem planejado e executado, é fundamental contar com um profissional especialista da área. Apenas ele poderá indicar as medidas necessárias de materiais e a real possibilidade de aplicação do pavimento no espaço desejado. Por vezes, mesmo que pareça uma boa ideia, o fulget não é a melhor opção disponível no mercado.

Execução do piso fulget

Assim que definido o tipo de piso a ser aplicado, o solo do espaço precisa ser trabalhado. Isso significa que ele deve ser nivelado e compactado, de modo que não existam desníveis na superfície.

Em seguida, é indicada a aplicação de uma camada rugosa de concreto. Ou então que seja feita uma base de britas bem compactadas. Isso dará ao espaço uma característica áspera, o que vai facilitar a aderência da massa.

No passo seguinte, faz-se a produção da mistura entre o cimento, aditivos e pedras. De modo geral, a quantidade necessária dos dois primeiros varia de acordo com o volume e variação de pedras utilizados na preparação. Nesta etapa, também pode ser adicionado o corante já citado.

Espalhada pela superfície do assoalho, a massa do fulget deverá ser nivelada com cuidado. Sua consistência é naturalmente irregular, mas isso não significa que o piso deverá ter depressões. Afinal, elas podem tornar o ambiente incômodo visualmente, além de provocar acidentes.

Habitualmente, são necessários cerca de 7 dias para a secagem completa da superfície. O tempo varia de acordo com a extensão e condições climáticas do espaço. Em todo o caso, é fundamental fazer a lavagem do pavimento antes que ele seque completamente. Isso pode ser feito por meio de uma lavadora de pressão, com o uso do bico em leque. A lavagem será a responsável por eliminar parte do concreto da superfície, deixando alguns fragmentos do piso à mostra. Logo, é ela que vai garantir a principal característica do fulget: sua capacidade antiderrapante.

Depois de lavado, o assoalho deve secar por mais alguns dias. Não é necessário realizar nenhum tipo de acabamento da superfície.

Vantagens do pavimento

Como citado, uma das principais vantagens do piso fulget é sua característica antiderrapante. Ela é garantida pela rugosidade do piso, obtida por meio da exposição dos fragmentos de pedras com os quais o pavimento é produzido. Assim, o material evita acidentes como escorregões, especialmente de crianças e idosos, que têm o equilíbrio mais frágil.

Essa capacidade do produto também evita acidentes mesmo que a superfície esteja molhada. Por isso, o material é mais utilizado em espaços externos, como garagens, varandas e pátios. Afinal, esses ambientes geralmente sofrem a incidência direta da água da chuva.

Não significa, contudo, que o fulget não possa ser utilizado no interior dos imóveis. Ele pode, e oferece um belo visual ao espaço. Contudo, sua textura áspera pode incomodar, especialmente àqueles indivíduos que possuem o hábito de andarem descalços. Nessa situação, é possível aproveitar da beleza do produto, mas utilizando outro tipo de piso: o granilite. Continue acompanhando o texto! Logo mais falaremos sobre essa opção.

A resistência a impactos e à abrasão do piso também são bastante interessantes. O material suporta alto tráfego de pessoas, e até o tráfego moderado de veículos.

Outra vantagem obtida pelo uso desse assoalho rugoso é a sua durabilidade. Segundo especialistas, se bem cuidado o fulget pode ter vida útil de até 4 décadas.

Sem dúvida, também é necessário destacar a incrível capacidade decorativa do pavimento. Com cores variadas, o piso fulget pode ser harmonizado às cores das paredes, dos objetos, aos tons do jardim e vários outros. Assim, cria um aspecto visualmente mais atrativo, dando um charme especial ao imóvel em que é utilizado.

Além disso, o produto é atérmico. Ou seja, não esquenta no sol. Por isso, ele não aumenta o mormaço do ambiente, mesmo que o dia tenha clima excessivamente quente.

Qual a diferença entre o Fulget e o granilite comum?

Um pavimento fulget é um tipo de granilite. O granilite é o piso produzido por meio do cimento, aditivos e fragmentos de pedras, e tem seu visual muito semelhante a um mosaico colorido. Além da sua versão rugosa, explicada ao longo deste texto, existe a comum.

As alternativas diferem, especialmente, devido ao tipo de acabamento recebido. Enquanto o fulget é apenas lavado, sem nenhum outro tratamento, o granilite é liso e brilhante. Para que fique assim, ele não é lavado. Em vez disso, seu processo de execução inclui a secagem completa da massa. Logo em seguida, o pavimento recebe uma generosa camada de resina, geralmente produzida à base de água. Polida, essa resina torna o piso nivelado e lustroso.

É importante destacar também a diferença de ambientes entre os tipos de granilite. O material comum não deve ser aplicado em ambientes externos, pois sua polidez torna o pavimento escorregadio. Logo, espaços sujeitos ao acúmulo de água podem se tornar perigosos, provocando acidentes.

Dessa forma, o fulget é indicado para locais como escadas, calçadas, arredores de piscinas e rampas. Enquanto isso, o granilite comum pode ser aplicado em escritórios, salas, shoppings centers, teatros e outros locais internos.

Manutenção e limpeza

Como possui certa rugosidade, o piso fulget é um ótimo acumulador de sujidades. Por isso, ele deve passar por limpeza frequente, de modo que mantenha sua beleza. Esse cuidado também será o responsável por garantir a alta durabilidade prevista do produto.

Na hora de limpar a superfície, é indicado utilizar apenas água e detergente neutro. O uso de produtos abrasivos ou químicos pode ser prejudicial ao assoalho. Caso prefira, o consumidor também pode usufruir uma lavadora a jato, mas desde que o bico seja regulado em modo “leque”. Jatos diretos de água tendem a soltar fragmentos de pedra do piso, desgastando-o.

Quando uma manutenção se fizer necessária, o processo será bastante simples. O usuário precisa apenas contratar empresa especializada para realizar o serviço. Ela, então, fará a aplicação de uma nova camada de massa fulget, aumentando a espessura do assoalho. Como a superfície é áspera, o produto terá fácil aderência.

Outros pisos para áreas externas

Os custos da aplicação do piso fulget variam, de acordo com os tipos de pedras utilizadas para a preparação da massa. Ainda assim, o uso do produto costuma ser barato, especialmente considerando todas as suas vantagens.

Se, ainda assim, ele não couber no seu orçamento, saiba que existem outras alternativas interessantes de pavimentos para área externa. Inclusive para o caso de você apenas desejar outra opção.

Piso Intertravado

O piso intertravado é bastante comum em espaço públicos, como calçadas e praças. Sua facilidade de instalação e benefícios, porém, o fazem interessante para qualquer local externo.

Um piso intertravado é composto por uma série de “tijolos” de pedra, posicionados juntos no solo. Eles não são ligados por nenhum tipo de material colante, como o cimento. Em vez disso, o que segura as peças no lugar é a pressão que uma exerce sobre a outra. Logo, há o “intertravamento” dos tijolos, criando uma superfície resistente e semelhante a um quebra-cabeças.

Como principal vantagem, o pavimento intertravado tem a sua capacidade de absorção de água. Como entre cada peça existem pequenos espaços, a água da chuva consegue facilmente passar ao solo. Em seguida, é absorvida e levada ao lençol freático, uma espécie de reservatório para as raízes das plantas. Isso ainda previne enchentes e a formação de lodo na superfície do espaço.

Piso Cimentício

O piso cimentício nada mais é do que uma superfície produzida por meio do cimento e aditivos. Resistente, a opção é interessante para quem deseja economizar um pouco mais. Afinal, não é preciso muito para a compra de areia e sacos de cimentos. Contudo, é necessário atenção na aplicação do material: se não houver espaço para escoamento de água na área externa do imóvel, poderão ocorrer enchentes.

Madeira

Pavimentos de madeira costumam ser os preferidos daqueles que gostam de se manter perto da natureza. Com diversos tipos disponíveis no mercado, o produto pode levar ao espaço um ar de elegância e sofisticação. Oferece também aconchego, tornando o espaço externo uma ótima alternativa para o lazer.

No momento da escolha do material, lembre-se apena de contar com um especialista no assunto. A madeira precisa ser bem avaliada de acordo com a quantidade de água incidida do espaço. Também precisa ser tratada, para que não absorva líquido e “estufe” com o passar do tempo.

Leave A Reply

Your email address will not be published.